terça-feira, 8 de maio de 2018

# histórias da minha vida

Liberdade

Era uma sexta feira e Ana foi almoçar com duas amigas que não via a muito tempo, trabalharam juntas durante dois anos numa empresa a algum tempo atrás. Lá era tudo regrado, entra as 08h e sai as 18h, intervalo era apenas uma hora, de segunda a sexta era o que mostrava o contrato mas se tivesse que trabalhar num sábado,não adiantava reclamar, a empresa abre e elas iam trabalhar, afinal, tinham contas pra pagar. 

Marcaram ao meio dia na entrada da empresa, Ana acordou as 11h, tomou um banho e saiu, todos diziam que ela era a mais louca dali por não querer trabalhar no turno da manhã, julgaram a decisão de sair do emprego com base na ideia de que ela queria ser sustentada por alguém pra dormir até tarde todas manhãs, mal eles sabiam que o que ela queria mesmo era qualidade de vida, nunca se negou a trabalhar mas também nunca achou correto ter que passar um dia inteiro dentro de um sala. 

Falando em sala,vamos voltar lá atrás um pouquinho pra entender  melhor como eram as coisas.

Entra as 8h, não pode atrasar senão descontam, vai pra uma sala sem janela e faz as atividades rotineiras da área da administração, Ana, o telefone, o computador e as milhares notas fiscais, era quase um relacionamento poliamoroso. O relógio marcava 12h e Ana saia pra almoçar mas quando o relógio batia as 12h50 já era hora de voltar e o almoço de Ana ainda continuava lá, porque, ela comia devagar então nunca conseguiu voltar pra empresa sem deixar um pouco de comida no prato. 


Voltava pra sala e seguia com o telefone, computador e suas notas até as 16h, descia pra cozinha fazer um lanche de 10 minutos e depois seguia até as 18h, as vezes 20h. 
Voltava pra casa e tinha que dormir cedo, afinal, no dia seguinte deveria estar lá novamente as 8h. 
Cansada dessa rotina, Ana decidiu por um fim nisso tudo, se demitiu. 
Hoje depois de 4 anos, voltou na empresa para reencontrar as amigas no horário do almoço, era tudo igual, os mesmos horários, mesmo funcionários, mesma rotina.  Elas se encontraram, teve muitos abraços e foram pro carro, durante o caminho até o restaurante, conversaram um pouco, contando resumos do que tinhacontecido nesse período que estavam distantes. Quando chegaram, as meninas comeram correndo, enquanto Ana seguia do mesmo jeito comendo devagar, apreciando o sabor da comida, em um piscar de olhos ja era hora de voltar para o serviço, tiraram uma foto para registrar o encontro e saíram correndo, uma delas deixou metade da comida no prato.  Enquanto as meninas saiam do restaurante, Ana ficou olhando e pensou:

" A louca nessa história nunca foi eu que quis largar essa prisão paraproveitar minha vida " 

Ana seguiu comendo seu almoço devagar, admirando as pessoas correndo para voltar para os seus empregos enquanto ela somente apreciava o sabor daquela comida que havia escolhido. 
Era uma sexta feira, diferente de todas aquelas pessoas que estavam almoçando correndo, pensando no final do expediente para ir embora e postar nas redes sociais o conhecido " SEXTOU ", Ana estava de folga e aprendeu que pode "sextar" todos os dias quando descobrimos o prazer de se empregar da forma correta. 



________________________________________________________________________________________________________________________

Histórias da minha vida 2
Aconteceu em: 2018
Em Porto Alegre – RS
Ana sou eu. 

14 comentários:

  1. Adorei demais! Nada como fazer o que é melhor para nós mesmos, mesmo que inclua pedir demissão!

    Beijo!
    Cores do Vício

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Pathy!!
      Obrigada pela visita.
      Beijos

      Excluir
  2. Olá Malu, as vezes é necessário mesmo tomar uma atitude de rompimento quando algo não nos faz bem, imagina continuar em um lugar desse, em que você não pode nem mesmo apreciar sua comida, fez bem em ter saído, pois se em 4 anos nada mudou, então não muda mais.

    bjs

    Ariadne ♥
    www.devoltaaoretro.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poisé, não muda mais.
      Imagina atrapalhar a hora da comida? Nao pode! Hahaha

      Beijos

      Excluir
  3. Isso da até uma tristeza de não querer ir trabalhar, porque infelizmente a maioria dos trabalhos é assim. Mas, afinal, qual foi o novo trabalho de Ana? Como ela conseguiu se sustentar financeiramente nesse mundo louco?

    Nanda, Gravado na Memória

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii Nanda, tudo bem?
      Era todo dia ima tristeza mesmo mas agora ta bem melhor.

      Ana trabalha em um shopping a 5 minutos de casa, nao se estressa com transporte publico, começa a trabalhar as 16h da tarde, se da bem com toda equipe, come varios hambúrgueres e ganha o dobro que ganhava na empresa anterior.

      Ana também é fotógrafa e é super tranquilo nessa nova empresa liberar ela quando tem algum ensaio ou evento para fazer.

      Acho que Ana acertou na decisão quando quis sair de lá!

      Beijos

      Excluir
  4. Liberdade é magnifico em certos casos, né?
    Gostei do texto!

    Um beijo
    Jéssica Andrews Blog

    ResponderExcluir
  5. Essa Ana seria a Ana Carolina Domingues, você fez um texto da minha vida?
    Quanta coincidência, adorei ❤
    www.blogsereiando.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou e se identificou, fico feliz!

      Mas me conta qual foi a "liberdade" da Ana Carolina?

      Beijos

      Excluir